Blog

Equipe se aventura pelos rios de Peruíbe (SP) em busca da suaçuboia

Equipe se aventura pelos rios de Peruíbe (SP) em busca da suaçuboia

De hábitos noturnos e arborícolas a serpente é difícil de ser observada; de barco, a equipe usa lanternas para encontrar a espécie camuflada na vegetação.

Em uma região de praia, áreas de mangue e Mata Atlântica, onde rios se encontram com o mar, a aventura não é pesca nem passarinhada. No barco, os olhos atentos e as lanternas ajudam na busca pela suaçuboia.

De hábitos noturnos, a serpente se camufla entre a vegetação, mais um desafio para a equipe que se aventura pelo rio Guaraú na madrugada.

Na escuridão total, o jeito é iluminar as margens do rio e torcer para as luzes das lanternas refletirem nos olhos da espécie. Debaixo de chuva, o saruê, uma espécie de gambá, e o savacu-de-coroa desfilam para as lentes do TG.

Tanto esforço trouxe resultados positivos e, no terceiro dia de expedição, a equipe encontra um indivíduo jovem.

Incentivados pelo encontro, o grupo parte para um desafio ainda maior: encontrar uma suaçuboia maior, já que o adulto pode chegar a dois metros de comprimento.

Barco na água, agora no rio Una, e as horas em busca da serpente parecem intermináveis, mas, como em toda boa aventura, a equipe é surpreendida no fim da expedição!

A SUAÇUBOIA

Arborícola e noturna, a Suaçuboia (Corallus enydris) é uma serpente de grande porte que passa boa parte do tempo enrolada em troncos de árvores e galhos altos.

Comum na Amazônia, no Cerrado, na Caatinga e na Mata Atlântica, a espécie chama atenção por apresentar diferenças nos padrões de manchas e de coloração entre jovens e adultos.

Muitas vezes confundida com a jiboia, a serpente tem cabeça grande, corpo fino e longo e não é venenosa.

A dieta é composta por lagartos, rãs, pererecas, pequenos mamíferos, aves e morcegos.

Fonte: G1 – Terra da Gente

Nenhum comentário ainda! Você é o primeiro a comentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *